Plantas: juntas de dilatação e movimento de terra

Plantas: juntas de dilatação e movimento de terra

Embora de grande magnitude, o chamado “Trevão de Ribeirão”, como foi apelidado assim que as obras começaram, teve detalhamento minucioso nos desenhos técnicos para a execução correta de cortes e aterros para a implantação do conjunto de viadutos.

A geometria final dos viadutos foi obtida com o auxílio do software Power Civil, da Bentley Systems. Cada um dos oito viadutos tem tamanho diferente. “Eram curvos, com largura variável, esconsos, alguns com dois e outros com três vãos”, explica José Eduardo Salvatto, da Beta 2 Engenharia, empresa que ficou responsável pelo detalhamento estrutural. A diversidade exigiu cuidado dobrado nos desenhos.

Por Isadora Macedo