Melhores práticas: seis etapas para transformar um container em uma casa ou imóvel comercial

Melhores práticas: seis etapas para transformar um container em uma casa ou imóvel comercial

As construções em container têm se tornado uma alternativa mais econômica e sustentável de obra, se comparadas às de alvenaria. Tendência na Europa e no Japão, o modelo de edificação chegou ao Brasil no início dos anos 2000, no mesmo período em que arquitetos e engenheiros na Inglaterra decidiram adaptar e reaproveitar esses dispositivos para projetos residenciais. A durabilidade dessas construções pode alcançar até 90 anos desde que aplicadas as técnicas básicas de manutenção.

Para adaptar os módulos para uma residência ou comércio são necessárias seis etapas. Todo o processo pode levar de 60 a 90 dias, dependendo do projeto arquitetônico. A rapidez na entrega da obra é uma das vantagens de uma construção com esse perfil. Quem ensina as melhores práticas para essa transformação é a equipe da Renove Container, idealizada e fundada pela arquiteta Tuani de Miranda e pelo administrador Vinicius Pratalli em 2016 na cidade de Campinas, São Paulo. A empresa é especializada na adaptação e restauração de containers para escritórios, comércios e residências.

Escola de idiomas construída a partir de container na cidade de São José do Rio Preto, interior de São Paulo.

6 etapas de transformação do container:

1) Visita ao terreno
A primeira etapa para uma obra em container é a visita ao terreno em que o material será instalado. Com isso, é analisado o perfil do terreno e do seu entorno para o desenvolvimento do projeto e determinação da logística do descarregamento para o posicionamento dos containers no local de montagem final.

2) Programa de necessidades
O segundo passo é o momento de entender qual é a dimensão do investimento da obra e quais são as necessidades em relação ao projeto. Se for uma residência, deve-se definir a quantidade de quartos e banheiros, a dimensão dos cômodos e a área final da construção. No caso de um comércio, devem-se prever as áreas comuns necessárias e a metragem. “Ao definir a área total, será calculada a quantidade de containers que vão compor a edificação. Em paralelo, é feita a análise da legislação local de recuos, da área máxima de construção permitida no devido terreno e do valor aproximado de investimento do cliente”, explica Tuani de Miranda.

3) Projeto arquitetônico
Nesta fase, arquiteto e cliente analisam o programa de necessidades e propostas as ideias para a obra. Neste processo, é verificado o Código de Obras da cidade, que estabelece o que é permitido construir na região, e a trajetória do sol. “Após a aprovação do projeto pelo cliente, entramos com o pedido de aprovação na Prefeitura e aguardamos. Depois da retirada do Protocolo aprovado podemos dar início à etapa seguinte”, completa Miranda.

4) Orçamento da obra
Todos os itens de mão de obra e materiais que serão utilizados devem ser descritos e separados por etapa de execução. O orçamento detalha o valor para de cada etapa da construção. Segundo Miranda, os valores partem de R$ 1.300 o m².

5) Execução da obra
Com o orçamento aprovado, é feita a compra dos materiais e a contratação da mão de obra. As etapas de execução da obra são serralheria, elétrica, hidráulica, drywall, esquadrias e pintura (veja box a seguir com os detalhes das fases de execução).

6) Montagem final
Ao concluir a montagem dos módulos de container, cada estrutura é levada separadamente ao terreno, que já deve estar com as bases de fundação instaladas para a montagem e retoques finais.

Vista da fachada de container adaptado com finalidade comercial para escola de idiomas no interior de São Paulo

FASES DE ADAPTAÇÃO DO CONTAINER

Serralheria:
É a etapa em que são feitos os recortes das aberturas no contêiner, que dão origem às janelas, portas ou vãos. Após as aberturas, são montados os requadros e são executadas as soldas nesses vãos para reestruturar o que foi retirado. As chapas retiradas podem ser usadas para fazer uma janela ou uma porta de segurança, dando, assim, um reuso para não haver desperdícios desse material.

Passo 1

Elétrica/Hidráulica:
Na fase da elétrica, pode-se optar por tê-la aparente (com a fiação passando por eletroduto exposto, que lembra uma estética industrial). As instalações hidráulicas também podem ser embutidas dentro dos perfis de drywall.

Passo 2

Drywall:
Depois da instalação da tubulação hidráulica e dos conduítes da elétrica, são instalados os montantes de alumínio para fazer a estruturação do drywall. Em seguida, coloca-se uma manta de isolamento termo-acústico e logo depois são parafusados os painéis de drywall nos montantes. Em seguida, são definidos os pontos de elétrica nas paredes de drywall e são instaladas as caixinhas e espelhos de tomada e interruptores. A finalização e o nivelamento das superfícies são feitos com massa corrida.

Passo 3

Esquadrias:
Concomitantemente à etapa de instalação dos montantes de alumínio do drywall (antes da fixação dos painéis), são instaladas as esquadrias de alumínio das portas e janelas.

Passo 4

Pintura:
A pintura entra depois que todas as equipes anteriores finalizarem tudo. As janelas, portas e pontos de elétrica são cobertos para a finalização da pintura interna.

Passo 5
Vista interna de container adaptado: complementos de serralheria, drywall e pintura dão acabamento à construção

Por Isadora Macedo
Fonte: Renove Container