Publicidade

Obras

Telhado de policarbonato

Material molda-se com grande facilidade e possui boa resistência para cobrir garagens, jardins de inverno, gazebos e outras áreas externas

Reportagem: Juliana Nakamura
Edição 23 - Maio/2009

Você conhece o policarbonato? É um plástico fabricado a partir de resinas derivadas do carbono. Isso faz com que o material tenha alta resistência mecânica e pouco peso. É vendido em placas compactas ou alveolares, e na forma de telhas, servindo tanto para coberturas como para fechamentos laterais.

As chapas de policarbonato podem ser curvadas a frio, na obra, conforme a necessidade. Em ambientes internos, proporcionam aumento da iluminação natural, podendo ser usadas em lugar do vidro. Em geral, o policarbonato é utilizado em áreas externas, em coberturas planas ou curvas, como garagens, jardins de inverno, marquises, gazebos, áreas de lazer, estufas e piscinas. Também são encontradas no mercado as placas que refletem a luz solar e reduzem o calor no ambiente.

O policarbonato tem boa resistência ao fogo, e seu nível de transparência chega a 90%. É comercializado nos padrões transparente, opaco, canelado e liso. As cores mais comuns no mercado são o cinza, verde, azul, bronze e branco leitoso.
Por ser menos rígido que o vidro, pode riscar facilmente e deve ser protegido durante a instalação e manutenção. Assim, áreas que exigem limpeza constante devem receber uma película antiabrasiva.

Tipos de placas e cores

As placas de policarbonato alveolar se assemelham a uma colmeia e têm a aparência visual do vidro canelado. Há policarbonatos cinza, verde, azul, bronze, transparente e branco leitoso.
As placas lisas podem ser oferecidas com proteção contra os raios ultravioleta. As chapas de espessura maior e as coloridas e leitosas reduzem a transmissão de luz e a penetração de calor.

 

 

As telhas de policarbonato são leves (cerca de 1,2 kg/m²), resistentes ao impacto e proporcionam maior aproveitamento da luz natural. São oferecidas em perfis ondulados e trapezoidais.

 

Corte
Telhas de policarbonato podem ser cortadas com serras manuais, elétricas ou de fita. As lâminas devem ter dentes finos, seis a oito por centímetro. Quando utilizar serra, prenda as telhas à bancada.

Armazenamento e manuseio
Proteja as telhas das intempéries e guarde-as protegidas do sol direto, do vento, da chuva e da umidade. Mantenha-as embaladas até a instalação.Telhas do mesmo comprimento devem ser estocadas juntas, horizontalmente. Se as chapas forem de comprimentos diferentes, empilhe-as mantendo as mais longas embaixo. As pilhas devem ser apoiadas sobre ripas de madeira espaçadas a cada 1 m. As placas de policarbonato são fornecidas com um filme (película) protetor, que só deve ser retirado no final. Sem esse cuidado, pode riscar.

Perfis e acessórios
As chapas são montadas em perfis de alumínio, policarbonato ou aço. O mercado dispõe de diversos tipos de acessórios específicos para a montagem das placas, tais como silicone, fitas porosas e dupla face e parafusos autobrocantes.

Furação
Os furos podem ser feitos com furadeiras manuais ou elétricas, utilizando brocas para metal. Apoie o local diretamente sob a broca, para evitar vibrações.

Fixação
Os furos de fixação (na telha) devem ser feitos com um diâmetro maior do que o do parafuso (de aço autoperfurante). Não aperte excessivamente. Nos modelos greca e ondulada, faça a fixação no alto da onda e sobre suporte de sustentação.

Acessórios
Rufos, contrarrufos, cumeeiras e calhas poderão ser executados em chapa de policarbonato compacta (espessura 2 mm) ou chapas metálicas (alumínio ou aço galvanizado)

Dicas

Segurança
» Apesar de o policarbonato possuir certa resistência, utilize pranchas para se movimentar sobre as telhas.

Montagem
» Determine a direção principal do vento. Todas as sobreposições devem estar na direção oposta. Coloque o lado protegido contra os raios UV para cima. Nos beirais e calhas, não deixe balanços de mais de 2,5 cm.

Sobreposição de topo
» É recomendada uma sobreposição mínima de 150 mm sobre os apoios, em conjunto com fitas vedadoras (de neoprene ou EPDM).

Sobreposições laterais
» É recomendado o uso de fitas vedadoras nas sobreposições, bem como uma "costura" com parafusos instalados a cada 300/400 mm.

Fonte: Day Brasil

Destaques da Loja Pini
Aplicativos

Publicidade