Instalador de fachada-cortina | Equipe de Obra

Publicidade

Carreira

Instalador de fachada-cortina

Esse profissional deve conhecer muito bem o produto que manuseia e as ferramentas adequadas para fazer uma instalação segura e de excelente qualidade

Reportagem: Felipe Benevides
Edição 26 - Novembro/2009

 

Profissional

Marcelo Scandaroli
Nome: José Mendonça
Idade: 62 anos
Onde nasceu: Santo André (SP)
Onde mora: Ribeirão Pires (SP)
Onde trabalha: Mont-All Instalações e Montagens
Função atual: instalador de fachadas e diretor da Mont-All

Há quanto tempo atua nessa profissão?
Trabalho com fachadas há 15 anos, mas com obras em geral, já são 40 anos de profissão.

Como aprendeu a profissão?
Meu primeiro emprego foi em 1967, como ferramenteiro. Naquela época não havia cursos especializados para instalação de fachadas. Mas eu fiz um curso de ferramentas, aprendi a interpretar os desenhos da obra e ganhei muito conhecimento no dia-a-dia do trabalho, na mão de obra mesmo.

É uma profissão perigosa?
Sim, é perigosa. A fachada com sistema stick, que é a mais comum, é aplicada em grandes obras e tem 100% dos trabalhos feitos externamente, como ancoragem e a instalação do quadro. Por isso é muito importante o uso dos EPI's (Equipamentos de Proteção Individual).

Como é sua rotina de trabalho?
Depende muito da obra. Tem dia que começo a trabalhar às 5h30 e vou até as 20h30. Em geral, trabalha-se da 7h00 às 17h00 na obra, cuidando dos arremates, das vedações e das instalações das fachadas.

Quais dicas você daria para quem está começando na profissão?
Procurar um curso técnico. O meu filho mudou de área e resolveu entrar no ramo da construção. Fez um curso no Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) e se especializou, esse é o melhor caminho.

O que é preciso para ser um bom profissional?
Muita dedicação e vontade de fazer a coisa dar certo. Além disso, é preciso respeitar os colegas de trabalho e cumprir os prazos. Trabalho com quase 30 funcionários e sempre honro as datas de pagamento, pois é muito importante deixar tudo em dia.

 

Características da função do instalador de fachada-cortina

O que faz um instalador de fachada cortina - De uma forma geral, o instalador primeiro avalia as condições da obra, faz o levantamento das prumadas e dos níveis para instalar a fachada. Em seguida, fixa as colunas e depois as travessas, fechando assim uma malha de perfis. Após adequar as instalações, o instalador monta o quadro de vidro nessa malha. Ou os quadros já estão prontos para serem colocados, ou o instalador cola os vidros nos quadros, no canteiro da obra, num espaço próprio para fazer esse serviço. Para finalizar, ele faz os arremates internos.

Em que etapa da obra ele entra - Basicamente, o instalador entra na etapa de acabamento da obra. A instalação deve ser feita com condições mínimas para a instalação de revestimentos, pois é um trabalho sensível e não deve ser realizado quando se está rebocando a obra, por exemplo, já que os quadros da fachada possuem vidros e são frágeis.

Onde o instalador de fachada-cortina pode trabalhar - Em fábricas de esquadrias, em grandes construtoras ou prestar serviço terceirizado.

Responsabilidades desse profissional - É importante conhecer o produto no qual ele está trabalhando, ter domínio do uso de ferramentas e materiais e fazer a montagem de forma adequada. O instalador deve se preocupar com o acabamento e fechamento das interfaces da obra para evitar problemas futuros de infiltrações e/ou vazamentos. Além disso, esse profissional deve interpretar o projeto da obra de maneira correta para identificar as medidas e transferir sua leitura para o canteiro, garantindo a qualidade do produto. Vale ressaltar a importância do uso de EPI's (Equipamentos de Proteção Individual) tanto em instalações internas, quanto em instalações externas, além disso, deve conhecer a NBR 10821, que é a Norma Brasileira da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) para esquadrias.

Tipos de fachada-cortina que esse profissional está apto a instalar - São quatro: stick (a mais comum), unitizada, spider glass e fotovoltaicas. A diferença entre elas é o sistema de montagem. Embora possuam praticamente os mesmos procedimentos de instalação, cada uma tem suas características na hora de montar.

Cursos específicos para instalação de cada tipo de fachada - É ideal que se faça. Quando não há cursos em escolas especializadas, as empresas fornecedoras ou instaladoras costumam promover treinamentos para que os profissionais tenham conhecimento do produto ou sistema que está sendo colocado no mercado.

Experiência - O mercado está bem aquecido, existe muita procura por profissionais qualificados. A parte prática, muita gente aprende no dia-dia do canteiro, mas o ideal é que se frequente um curso técnico, para o aprendizado dos fundamentos e de leitura dos projetos. Com os cursos o profissional fica mais bem informado das novidades da área.

Salário médio - Varia entre R$ 750 e R$ 1.500, pois depende do cargo e experiência. O profissional começa como ajudante, depois vira instalador meio-oficial e finalmente instalador oficial.

Onde aprender a profissão - Em São Paulo, na escola Senai Orlando Laviero Ferraiuolo existe um curso chamado Esquadrias entre vãos - Módulo 1. Nesse curso o aluno aprende procedimentos de instalação de esquadrias de alumínio, que é o mesmo método para a instalação da fachada-cortina. Além disso, algumas empresas investem em profissionais que podem dar certo na profissão, financiando cursos rápidos.

Cursos

Afeal
(11) 3221-7144
www.afeal.com.br

Escola Senai Orlando Laviero Ferraiuolo
Senai - (11) 2227-6900
www.sp.senai.br

Apoio Técnico: Luís Claudio Viesti - Consultor Técnico da Afeal (Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio)

Veja também

Equipe de Obra :: Projetos :: ed 75 - Setembro de 2014

Plantas - Saiba como ler projetos de armaduras

Equipe de Obra :: Obras :: ed 75 - Setembro de 2014

Melhores Práticas - Assentamento de bloco de vidro