Publicidade

Projetos

Automação sem fio

Saiba como ler o projeto de instalação de sistemas que controlam luzes e equipamentos à distância

Reportagem: Jamila Venturini
Edição 37 - Julho/2011

Uma planta de automação sem fio é muito similar à planta de elétrica, pois são poucas as alterações nas instalações elétricas convencionais que garantem a infraestrutura necessária para este tipo de tecnologia. A automação sem fio tem as mesmas funcionalidades das outras, mas com a vantagem de ser mais fácil de ser instalada: um eletricista é capaz de interpretar o projeto e executá-lo, enquanto outras tecnologias utilizam cabos específicos e muito delicados, o que demanda profissionais especializados.

Umas das principais diferenças de se trabalhar nas instalações de uma residência com automação sem fio é o condutor neutro. Em projetos de iluminação convencional, o neutro é ligado apenas à potência (lâmpada) e, com a automação, ele deve chegar até as caixas (de liga-desliga, dimmers, controles remotos de parede, etc.). Isso ocorre porque nestas caixas são instalados equipamentos (chips) que controlarão a automação (de persianas, ar-condicionado, iluminação, etc.) e eles necessitam de alimentação elétrica para funcionar. Outra diferença que se pode notar nesta planta são as indicações da localização destas caixas.

A instalação dos equipamentos de automação é feita pela empresa que fornece a tecnologia, no final da obra - após o acabamento. Seu trabalho é basicamente o de conectar os fios previamente instalados pelo eletricista nas posições indicadas pelo projeto e programar os equipamentos e seus controles.

Veja a seguir a planta da suíte principal de um apartamento do Edifício Modigliani, da Porte Construtora, na zona Leste de São Paulo:

 

 


Clique aqui para ver detalhes:

 

Apoio técnico: Josenei Spinelli, responsável por novas tecnologias da Porte Construtora; Ana Paula Marques Yamaguti e Pedro Braida Neto, da Z-Wave Automoção Residencial.

Publicidade