Casas com paredes de concreto | Equipe de Obra

Publicidade

Obras

Casas com paredes de concreto

Veja as etapas de execução de sobrados com paredes de concreto moldadas in loco

Reportagem: Jamila Venturini
Edição 37 - Julho/2011

Fotos: Marcelo Scandaroli
O sistema de construção com paredes de concreto moldadas in loco permite executar com agilidade e economia obras de grande escala como condomínios, vilas, etc. Nele, as paredes e demais elementos (fundações, lajes, escadas, etc.) de casas ou edifícios são moldados no próprio canteiro, com a utilização de fôrmas adaptadas para cada projeto.

Esse sistema está sendo empregado por exemplo na construção de 360 casas em São José dos Campos (SP). Nessa obra, executada pela Megasci, estão sendo usadas fôrmas metálicas e concreto com 20% de ar incorporado para o preenchimento das paredes. "A incorporação de ar cria uma barreira que evita a condensação de umidade por dentro das paredes, o que poderia causar bolor nos móveis, por exemplo", explica Valentim Manzine, diretor da Megasci.

Segundo Manzine, uma das maiores vantagens do sistema de paredes de concreto é a velocidade. "É possível diminuir 50% do tempo que se levaria em uma obra convencional", conta. Com isso, economiza-se em despesas com o canteiro de obras e os investidores obtêm um retorno financeiro mais rápido. Para se ter uma ideia, com cada jogo de fôrmas é possível construir 20 casas por mês, sendo que quando a casa de número 15 estiver sendo concretada, a primeira já estará pronta para a entrega.

Para obter esses resultados, as equipes são alocadas de acordo com as dimensões das casas. Em um projeto de 60 m² ou 70 m² trabalham 16 homens que se dividirão nas tarefas envolvidas na construção: montagem e desmontagem das fôrmas, instalações elétricas e hidráulicas e concretagem.

A execução das paredes de concreto pode variar de acordo com os processos construtivos adotados por diferentes construtoras. O material das fôrmas e seu fechamento, assim como o tipo de concreto utilizado, são alguns itens que podem mudar de empresa para empresa.

Veja a seguir as etapas de execução das paredes de concreto do condomínio construído pela Megasci em São José dos Campos:

 

FERRAMENTAS E EPIs

Fotos: Marcelo Scandaroli

Tesourão (para cortar treliças), pé-de-cabra, marreta grande, marreta pequena, sacador de painel (desenvolvido pelo fabricante das fôrmas), alavanca, nível, capacete, botas de segurança com bico de aço, óculos de proteção, protetores auriculares, luvas e cinto de segurança tipo paraquedista.

 

 

Passo 1

Fotos: Marcelo Scandaroli

1 Antes de executar as paredes de concreto, é preciso fazer o radier, fundação rasa de concreto estruturada com telas metálicas e atravessada por parte das tubulações da residência. Quando a casa estiver pronta, o radier poderá receber um revestimento cerâmico sem necessidade de contrapiso. Para sobrados como os deste empreendimento, o radier tem 10 cm de espessura. A execução das paredes se inicia dois dias após a concretagem do radier.

 

Detalhe

Fotos: Marcelo Scandaroli

Jamila Venturini
O radier tem uma abertura no local onde serão feitas as ligações da residência com a rede de esgoto. Com isso, a equipe pode seguir com a execução das paredes da casa sem ter que esperar o trabalho do encanador. Depois que as paredes e as conexões estiverem prontas, é feita a concretagem manual apenas desta região.

 

Passo 2

Fotos: Marcelo Scandaroli

2 Os painéis metálicos que irão compor as fôrmas das paredes são preparados para a montagem. Nesta etapa é aplicado o desmoldante, um líquido oleoso que impedirá que o concreto grude nos painéis.

 

Passo 3

Fotos: Marcelo Scandaroli
Fotos: Marcelo Scandaroli

3 Montam-se os painéis internos das paredes. As treliças, que foram previamente montadas, são encostadas e fixadas nas fôrmas. Nestas casas, foram utilizadas treliças H8 galvanizadas.

 

Passo 4

Fotos: Marcelo Scandaroli

4 Os espaçadores mantêm as treliças centralizadas dentro das fôrmas e garantem uma cobertura de 2,5 cm a 3 cm de concreto sobre as ferragens. Uma dupla de espaçadores menores é utilizada nas hastes verticais para que o concreto possa fluir normalmente. Espaçadores maiores poderiam bloquear sua passagem no interior da fôrma fechada.

 

Passo 5

Fotos: Marcelo Scandaroli

5 Após o encaixe das treliças, são posicionados nas fôrmas os eletrodutos e as tubulações de hidráulica.

 

Detalhe

Fotos: Marcelo Scandaroli

As fôrmas possuem encaixes onde são fixadas as caixas de comando e de distribuição. Elas são parafusadas nos painéis para que não se movimentem durante a concretagem, mantendo seu alinhamento quando as paredes estiverem finalizadas.

 

Atenção

Fotos: Marcelo Scandaroli

Também são colocados espaçadores nos eletrodutos, para garantir que eles tenham uma cobertura de concreto adequada e evitar que se formem fissuras na parede.

 

 

Passo 6

Fotos: Marcelo Scandaroli

6 As fôrmas possuem gabaritos para as aberturas de portas e janelas. Eles são dimensionados de acordo com o projeto e deixam uma folga de 1 cm para a instalação das esquadrias.

 

Passo 7

Fotos: Marcelo Scandaroli
Fotos: Marcelo Scandaroli

7 Os painéis têm furos onde são encaixados pinos com buchas que determinarão a espessura das paredes (neste caso, de 10 cm). O posicionamento correto destes pinos é fundamental para o alinhamento das fôrmas quando elas forem fechadas. Depois da desenforma, os furos nas paredes são preenchidos com uma argamassa.

 

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>

Veja também

Infraestrutura Urbana :: Fundações e Contenções :: ed 42 - Setembro 2014

3) Soluções técnicas: estacas Franki

Infraestrutura Urbana :: Fundações e Contenções :: ed 42 - Setembro 2014

2) Soluções técnicas: protensão de pontes e viadutos