Publicidade

Obras

Muro verde

Execução de paredes ajardinadas combina etapas de alvenaria, impermeabilização e hidráulica

Reportagem: Heloísa Medeiros | Apoio técnico: GreenWall Ceramic.
Edição 38 - Julho/2011

O muro verde é uma maneira simples de contar com um jardim vertical em locais onde se dispõe de pouco espaço. Também conhecida como parede verde, pode ser instalada em ambientes internos e externos e é construída com blocos cerâmicos especiais com diversos módulos para compor projetos de paisagismo de vários tipos. As plantas são posicionadas dentro dos blocos, que funcionam como vasos - pelo interior das peças também passam tubos responsáveis pela irrigação de água por gotejamento.

Trata-se de uma solução versátil para o cultivo de espécies aromáticas, flores exóticas, temperos para cozinha, horta, entre outras plantas, que pode ser aplicada em paredes com alturas variáveis e diversos formatos. Os módulos cerâmicos básicos de 29 cm x 25 cm x 19 cm (largura x altura x profundidade) devem ser executados com a primeira fiada para amarração como na alvenaria convencional. O tamanho máximo sugerido é de 2,5 m de altura e 3 m de comprimento. Acima disso, recomenda-se a elaboração de um projeto estrutural e a verificação da resistência do solo. Para cada metro quadrado de jardim vertical são utilizadas 13,5 peças.

Entre as vantagens dos jardins verticais está a redução da poluição sonora, pois as plantas absorvem ­ruídos e funcionam como revestimento acústico, além da redução da poluição do ar e do isolamento térmico que garantem a melhora do microclima local. Em ambientes fechados, uma parede verde pode diminuir até 3oC de temperatura, com economia no uso de ar-condicionado.

Para o acabamento pode-se utilizar tinta látex, silicone, pastilhas cerâmicas ou outros materiais. Assim, o projeto pode ser personalizado de acordo com cada ambiente, permitindo as mais diferentes soluções e desenhos.

 

Materiais e epis

Fotos: Marcelo Scandaroli

Capacete, óculos de proteção, luvas, colher de pedreiro, desempenadeira, desempenadeira denteada, trena, martelo, alicate, talhadeira, escova, esponja, pincel, rolo de pintura, lápis, serra-copo e argamassa colante.

 

Atenção

Se o muro ou parede estiverem prontos e revestidos com argamassa, é importante apicoar a superfície com talhadeira para dar aderência. Neste exemplo, em que o muro está diretamente sobre uma parede de tijolos, pode-se pular essa etapa. Nos dois casos, molhe o local para o início do assentamento.

 

Passo 1

Fotos: Marcelo Scandaroli

1 Faça a demarcação com a linha e certifique-se se o prumo está correto. Para fazer a amarração, use apenas blocos inteiros na primeira fileira.

 

Passo 2

Fotos: Marcelo Scandaroli

2 Prepare a argamassa, que deve ser do tipo AC III, de acordo com as instruções do fabricante e comece a aplicação nas peças cerâmicas e na parede.

 

Passo 3

Fotos: Marcelo Scandaroli

3 Use desempenadeira denteada para passar a argamassa na peça cerâmica e na parede a fim de conseguir uma melhor aderência.

 

Passo 4

Fotos: Marcelo Scandaroli

4 A cada fiada, use os meios-blocos para conseguir a modulação correta.

 

Passo 5

Fotos: Marcelo Scandaroli

5 Quando terminar a colocação dos blocos, espere por quatro horas para destacar as faces das peças cerâmicas, expondo a cavidade do módulo. 

 

Passo 6

Fotos: Marcelo Scandaroli

6 Após o destacamento, faça o rejunte com a própria argamassa de assentamento.

 

Passo 7

Fotos: Marcelo Scandaroli

7 Com uma esponja úmida, retire o excesso de material do rejunte da parte interna e externa dos módulos cerâmicos.

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>

Publicidade