Publicidade

Planejamento

Laje sem impermeabilização

Com sistema de placas elevadas sobre a laje do térreo, construtora afirma ter economizado com a execução da impermeabilização

Reportagem: Giovanny Gerolla
Edição 40 - Setembro/2011

Fotos: Marcelo Scandaroli
Marques Construtora adotou um sistema de pisos elevados sobre as lajes externas do térreo de seus edifícios e descartou a tradicional impermeabilização com mantas asfálticas. Segundo a empresa, a economia obtida com a solução chega a mais de 70%.

O processo de impermeabilização tradicional envolve as etapas de regularização da laje, aplicação de primer e da manta asfáltica e a execução de uma camada de proteção mecânica. Um processo caro e trabalhoso, na visão do engenheiro Flavio Braga, diretor técnico da Marques Construtora.

Braga conta que sua empresa apostou em um processo que envolve o tratamento do concreto empregado na estrutura e a montagem de um sistema de placas elevadas, sobre as quais são executados jardins ou áreas de tráfego.De acordo com o engenheiro, o sistema já é utilizado há dez anos sem relatos de problemas técnicos.

Braga conta que tudo começa com uma estrutura bem projetada. "Para evitar fissuras, é preciso prever juntas de dilatação e utilizar um traço especial no concreto", explica. A cura também é cuidadosa, e acontece ao longo de sete dias com uma lona plástica.

Concluída a laje, é instalado um sistema composto por placas de ardósia justapostas, apoiadas sobre uma base plástica (polipropileno). Acima do plaqueado, é executado o revestimento das áreas pavimentadas ou aplicada a terra dos jardins (sobre manta geotêxtil).

Para Braga, o sistema é mais vantajoso também nas manutenções periódicas. "Em vazamentos sob lajes com mantas, é preciso retirar a impermeabilização de toda a área, tratar a fissura e reimpermeabilizar o local." Com o piso elevado, ressalta o engenheiro, basta retirar algumas placas, corrigir o problema e reinstalar o plaqueado com rapidez.

 

 

LAJES COM PISOS ELEVADOS

A laje é executada com concreto especialmente tratado para evitar fissuras. O processo de cura leva sete dias e a laje possui juntas para favorecer a dilatação e retração do concreto. Sobre a laje monta-se um sistema de placas de ardósia (40 cm x 40 cm x 3 cm) apoiadas sobre bases de polipropileno (foto à esquerda). Nos jardins, esse plaqueado é coberto com mantas geotêxteis (centro), terra e plantas (à direita). Nas áreas de tráfego, são usadas placas de concreto, granito ou porcelanato sobre placas de ardósia. Também é possível executar, sobre as placas, uma camada de concreto de 5 cm de espessura.

Fotos: Marcelo Scandaroli
Fotos: Marcelo Scandaroli
Fotos: Marcelo Scandaroli

Custo total dos jardins: R$ 23/m²

Custo total das áreas pavimentadas: R$ 85/m²

 

 

 

Apoio Técnico: Flavio Braga, diretor técnico da Marques Construtora.

Destaques da Loja Pini
Aplicativos

Publicidade