Publicidade

Planejamento

Pavimento intertravado

Desgaste físico e intensidade do tráfego sobre o piso definem o tipo de bloco que deve ser utilizado na pavimentação

Reportagem: Renato Faria
Edição 40 - Setembro/2011

As diferenças entre os blocos de concreto usados em pavimentos intertravados extrapolam a variedade de cores e geometrias oferecidas pelos fabricantes. No que diz respeito à influência no desempenho do pavimento, aliás, essas características são menos importantes, por exemplo, do que a espessura e a resistência à compressão das peças, além do arranjo do assentamento dos blocos.

A norma técnica NBR 9781:87 - Peças de Concreto para Pavimentação - Especificação divide os blocos em duas classes de resistência: 35 MPa e 50 MPa. As peças mais encontradas no mercado são as de 35 MPa, usadas em vias de tráfego leve, médio e pesado. Os blocos de 50 MPa são indicados para aplicações especiais em que o piso sofre também desgaste por atrito - caso de pátios de indústrias, portos, etc.

O comprimento e a largura das peças variam, mas é à espessura - 6 cm, 8 cm ou 10 cm - que se deve dedicar maior atenção na hora de escolher o bloco. De acordo com Cláudio Oliveira, gerente nacional de indústria e inovação da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), a relação comprimento/espessura do bloco é um fator importante na escolha das peças, e deve ser sempre menor ou igual a 4. Na prática, quanto maior for a espessura, melhor é o intertravamento entre as peças.

Em praças e calçadas de pedestres, por exemplo, são indicadas peças menores, de 6 cm de espessura. Ruas e avenidas pedem peças de 8 cm de espessura.Os blocos de 10 cm são ideais para locais de tráfego pesado, como corredores de ônibus e postos de combustível em estradas, que recebem caminhões pesados.

Fonte: departamento de Engenharia e Custos da Editora PINI Observação: consideradas Leis Sociais de 129,34%. Valores válidos para São Paulo (SP). Data-base: agosto de 2011.

 

Arranjo "espinha de peixe"

É indicado para locais com trânsito de veículos comerciais. Nessa disposição, o tempo de contato das rodas com as juntas é menor, o que reduz a tendência de "escorregamento" das peças. Com isso se obtém maior durabilidade do pavimento.

Dimensões dos blocos

O comprimento e a largura dos blocos variam, assim como sua geometria. As espessuras, porém, são padronizadas entre 6 cm e 10 cm. Segundo Cláudio Oliveira, da ABCP, o resultado da divisão entre o comprimento da peça e sua espessura nunca pode ser maior do que 4.

 

 

TIPOS DE APLICAÇÃO
Para cada uso do pavimento, um tipo de bloco. Veja abaixo as características técnicas de cada um deles.

Tráfego leve
Exemplos: calçadas, praças, pátios, áreas de lazer, corredores, etc.
Resistência à compressão dos blocos: 35 MPa
Espessura: 6 cm

 

Marcelo Prates/ABCP
Praça Sete de Setembro, em Belo Horizonte

Tráfego médio
Exemplos: ruas e avenidas de tráfego moderado, postos de combustível urbanos, estacionamentos, etc.
Resistência à compressão dos blocos: 35 MPa
Espessura: 8 cm

 

Deise Cristofoli/ABCP
Calçadão Marechal Deodoro, em Jaraguá do Sul (SC)

Tráfego pesado
Exemplos: corredores de ônibus, postos de combustível em estradas, pedágios, etc.
Resistência à compressão dos blocos: 35 MPa
Espessura: 10 cm

 

Julio Cezar Souza/ABCP
Rodovia industrial em Balsa Nova (PR)

Tráfego especial
Exemplos: portos, pátios de indústria pesada, aterros de resíduos de construção e outros locais onde o pavimento sofra com desgaste por atrito.
Resistência à compressão dos blocos: 50 MPa
Espessura: 8 cm ou 10 cm

 

Paulo Bau/ABCP
Terminal de Contêineres, Guarujá (SP)

 

Observação: segundo Cláudio Oliveira, gerente nacional de indústria e inovação da ABCP, está em discussão a normalização de blocos de 4 cm de espessura e 16 cm de comprimento, que seriam uma alternativa para a pavimentação de áreas de tráfego leve.

Publicidade