Radiers | Equipe de Obra

Publicidade

Obras

Radiers

Conheça as etapas de execução das fundações rasas de concreto armado, reforçado com fibras ou protendido

Reportagem: Eduardo Campos Lima
Edição 42 - Novembro/2011

Utilizado principalmente na construção de casas térreas e sobrados, o radier é um tipo de fundação superficial ou direta que distribui toda a carga da edificação de maneira uniforme no terreno. É uma laje contínua e maciça de concreto que se apresenta como alternativa vantajosa, em muitos casos, às fundações profundas.

De acordo com o engenheiro Nelson Gerab, da Civic Engenharia e Construções, é uma solução aplicável à maioria dos tipos de solo. "Como há distribuição uniforme da carga, o radier admite um solo com menor resistência do que aquela necessária para fundação em estaca", compara.

Dependendo das características e da escala do projeto, os radiers podem ser executados em concreto armado, em concreto reforçado com fibras ou em concreto protendido.

 

Divulgação: Impacto Protensão
Radier protendido

Quando a fundação rasa é comprida (para apoiar várias casas, por exemplo), pode ser mais barato executar um radier protendido do que o radier armado, segundo o engenheiro Eugênio Cauduro, da Cauduro Consultoria. O engenheiro Marcos Caracas, da Impacto Protensão, complementa: "em geral, não vale muito a pena fazer protensão se o radier for muito pequeno, com menos de 5 m ou 6 m" . Radiers protendidos têm sido empregados também em edificações mais altas, às vezes com até 14 pavimentos.

 

 

Fotos: Marcelo Scandaroli
Radier armado

Radiers de concreto armado, ou reforçado com fibras, geralmente são utilizados para a construção de casas ou edifícios baixos, com no máximo quatro ou cinco pavimentos.

 

Fotos: Marcelo Scandaroli
Tamanho da equipe

Nelson Gerab estima que 12 trabalhadores conseguem executar cinco radiers por dia para casas de 50 m² - um armador, três ajudantes, um eletricista, um encanador e, na concretagem, três pedreiros e três ajudantes.

 

Fotos: Marcelo Scandaroli
Topografia

Antes de começar a preparação da base do radier, o solo deve estar rigorosamente nivelado. Por isso, a equipe de topografia faz a verificação in loco, e, se necessário, podem apontar ajustes a serem feitos no terreno.

 

 

 

Fotos: Marcelo Scandaroli
Instalações

Na etapa seguinte, são montadas as instalações hidráulicas, de esgoto e as caixas e passagens das instalações elétricas. A Rossi utiliza, em condomínios de casas térreas e sobrados, a tubulação enterrada sob o radier e envelopada com areia. "Em prédios, evitamos a passagem de tubulação hidráulica sob o radier. Nesse caso, executamos um shaft horizontal sobre um radier rebaixado", explica Marcelo Nogueira, gerente da qualidade da Rossi.

 

Fotos: Marcelo Scandaroli
Preparo da base

O radier tem uma camada de brita de aproximadamente 7 cm, que permite fazer o nivelamento fino do terreno e evitar o contato da armação com o solo. Pode-se usar brita 1 ou bica corrida compactada e pó de pedra. Sobre ela, coloca-se uma lona plástica, que ajuda na impermeabilização e não deixa que a nata do concreto fresco desça para a brita.

 

Fotos: Marcelo Scandaroli
Fôrmas

As fôrmas metálicas são vantajosas em projetos maiores, com repetição de concretagens. Marcos Caracas, da Impacto Protensão, ressalta que, na montagem, os encontros e o travamento das peças têm que ser verificados antes de prosseguir para a concretagem.

 

 

 

Fotos: Marcelo Scandaroli
Armadura

No caso do radier de concreto armado, pode ser empregada tela metálica - simples ou dupla, com ou sem reforço sob as paredes, de acordo com a necessidade verificada pelo engenheiro projetista. Na amarração, deve-se atentar para o cobrimento mínimo das telas e o posicionamento das armaduras de arranque e dos ferros de para-raios. "O cobrimento deve ser garantido com espaçadores plásticos, treliças metálicas e caranguejos metálicos", explica Marcelo Nogueira, da Rossi.

 

Divulgação: Impacto Protensão
Cabos de protensão

Para executar os radiers protendidos, são usadas cordoalhas plastificadas e engraxadas, dispostas em feixes com largura de 80 cm a 1 m - quanto maior a carga, mais estreita a malha. Nos encontros das cordoalhas, deve-se posicionar espaçadores para garantir sua elevação e fixação.

 

 

 

 

 

Fotos: Marcelo Scandaroli
Verificações

Antes da concretagem, verifica-se o nivelamento com nível laser, nos quatro cantos da fôrma. "Também é aconselhável conferir se os pontos de elétrica e hidráulica estão corretamente locados", recomenda o engenheiro Nelson Gerab, da Civic.

 

Fotos: Marcelo Scandaroli
Concretagem do radier armado

O lançamento do concreto pode ser feito com bomba ou jerica. O nivelamento é garantido por meio de mestras metálicas. O acabamento superficial é obtido por sarrafeamento, desempenamento e acabadora mecânica de superfície. "O acabamento não pode ser liso demais, porque a textura deve permitir a aderência de argamassa", aponta Gerab.

 

Eugênio Cauduro
Concretagem do radier protendido

Na concretagem do radier que será protendido, a equipe deve evitar pisar nas cordoalhas de protensão ou encostar nelas a ponta do vibrador, para não deslocá-la.

 

 

Fotos: Marcelo Scandaroli
Cura

Nos radiers protendidos, a cura é feita com aplicação contínua de água durante o intervalo de mais ou menos sete dias entre a concretagem e a protensão. Nesse período, pode-se subir parte da alvenaria, sem prejuízo para a fundação. A cura dos radiers de concreto armado pode durar mais de 72 horas, como faz a Rossi. "Fazemos cura por meio de lâmina d'água (com cordão de argamassa em torno da laje) ou com manta geotêxtil umedecida", explica Marcelo Nogueira.

 

Eugênio Cauduro
Protensão

Para realizar a protensão, a resistência mínima à compressão do concreto deve ser de 21 MPa. O macaco, encostado na lateral do radier, prende o cabo e o estica. Depois do tensionamento, é realizado o corte da cordoalha, que fica ancorada na placa.