Publicidade

Planejamento

Elevador de cremalheira

Veja quais são as características desse equipamento de transporte e saiba como organizar sua montagem e uso

Reportagem: Bruno Loturco
Edição 49 - Julho/2012
Fotos: Divulgação Metax

Com mecanismo de movimentação igual para todos os modelos - pinhão (engrenagem) e cremalheira (régua) -, esses equipamentos de transporte se diferenciam principalmente pelas dimensões da cabine. De acordo com diretor de elevadores da Associação Brasileira de Empresas Locadoras de Bens Móveis para a Construção Civil (Alec), Maurício Dias Batista de Melo, os tamanhos mais utilizados têm comprimento entre 2 m e 3 m e largura entre 1,10 m e 1,50 m.

Por isso, primeiro é preciso verificar o espaço disponível para a instalação. Depois, é preciso saber a carga máxima a ser transportada. Melo conta que as cabines mais utilizadas têm capacidade para 1.000 kg, mas que existem modelos capazes de transportar até mais que o dobro disso.

Não esqueça, ainda, que alguns materiais são leves, mas volumosos - e podem não caber no elevador. Também é preciso atenção para o sistema de abertura das portas. Há modelos com porta em folha ou do tipo guilhotina. A primeira, se dobrar para dentro, pode restringir o acesso de materiais. "Não esqueça de verificar o limite máximo de pessoas, incluindo o operador, que pode ser transportado, alerta Melo.

Custo
O custo do elevador de cremalheira é influenciado por algumas variáveis, como a altura do elevador, a quantidade de cabines (uma ou duas), a quantidade de cancelas (ou seja, as paradas em cada pavimento). Também é considerado o local de instalação, pois ambientes com atmosfera mais agressiva - como perto do mar - podem causar danos ao equipamento. As empresas locadoras também consideram o deslocamento da equipe - incluindo a eventual necessidade de hospedagem e alimentação -, a ocorrência de horas extras e os adicionais noturnos e de periculosidade para a composição do custo.

Características técnicas
Torre metálica

» tubos em aço carbono

Sistema de tração
»
conjuntos de redutores, podem ser acoplados a motofreios

Fotos: Divulgação Metax

Cabine
»
comprimento entre 2 m e 3 m
» largura entre 1,10 m e 1,50 m
» fechamento lateral e superior com tela metálica
» porta articulada ou tipo guilhotina
» escada interna para acesso ao teto
» piso antiderrapante
» guarda-corpo superior
» sistema elétrico de operação

Freio de segurança
»
tipo paraquedas
» acionamento automático por velocidade centrífuga quando exceder em 15% a velocidade normal

Dispositivo guia de cabo
» com percurso na torre metálica, evitando o armazenamento do cabo de comando na base do elevador

Base metálica
»
dimensões e formato adequados para suportar as cargas

Sistema de tração com pinhão e cremalheira
» cremalheira
»
pinhão
»
guias
»
torre

DÚVIDAS MAIS COMUNS

Onde é melhor instalar o elevador de cremalheira?
O melhor local para instalar o elevador no canteiro é próximo às áreas de descarga e armazenamento dos materiais. Além disso, a estrutura do prédio não pode interferir no acesso à cabine. Normalmente, a empresa que fornece o elevador é quem faz a montagem. No entanto, é preciso já deixar prontas a fundação e a instalação elétrica, além do local para armazenamento dos acessórios e elementos da torre.

Qual é o momento ideal para montar?
O elevador pode chegar ao canteiro quando a segunda laje estiver pronta, com aproximadamente 6 m de altura, pois é a partir dessa altura que aumenta o esforço dos trabalhadores para subir e descer escadas.

Com duas lajes já concretadas também há espaço suficiente para alocar os pontos de ancoragem e realizar o teste do freio de emergência, que é realizado com simulação de queda livre da cabine.

A torre do elevador é montada já na altura final?
Conforme a estrutura do prédio sobe, o elevador vai sendo complementado para que atinja o próximo pavimento. Essas etapas intermediárias até o final da montagem são chamadas de montagens complementares. É preciso atenção ao armazenamento das peças do elevador. Melo conta que é comum o pessoal de canteiro responsável pelo almoxarifado não guardar direito as peças e acabar comprometendo a montagem - seja a inicial ou a complementar.

Que tipo de manutenção costuma ser necessária?
Existe a manutenção preventiva e a corretiva. A primeira tem a finalidade de manter o elevador em perfeitas condições de uso, antes que algum problema ocorra. A corretiva é realizada quando o usuário aciona a empresa locadora e solicita manutenção. Isso acontece quando o elevador apresenta alguma irregularidade na operação.

De quanto em quanto tempo tem que haver manutenção?
A manutenção preventiva é realizada, no máximo, a cada um mês, mas o intervalo pode ser menor. Nesses casos, o equipamento fica parado por cerca de um dia. Esse tempo de paralisação é sempre previsto em contrato. O custo da manutenção é repassado ao cliente.

 

Apoio técnico: Maurício Dias Batista de Melo, da Alec.

 

Publicidade