Pregos para madeira | Equipe de Obra

Publicidade

Planejamento

Pregos para madeira

O prego certo proporciona fixação adequada entre as peças e impede que a madeira rache. Veja quais tipos indicados para cada material e saiba como escolher a bitola ideal

Reportagem: Juliana Martins
Edição 51 - Setembro/2012

Usados para unir partes, os pregos têm tamanho determinado por duas medidas: diâmetro e comprimento do corpo. Assim, sua descrição é dada por esses dois valores. Como exemplo, dizer que um prego tem 13 x 15 significa dizer que tem diâmetro de 13 e comprimento de 15. Veja na tabela a relação de medidas do prego.

Para definir qual prego usar em cada caso, é necessário conhecer as dimensões da madeira que será fixada. O instrutor do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) Paulo Michelazzo explica que, se o trabalho for fixar uma ripa, pode ser usado o prego 15 x 21 ou 15 x 18. Em caibros, o indicado é usar o 18 x 30, o 18 x 27 ou o 17 x 21. Em madeiras duras, o aconselhável é utilizar pregos finos e compridos ou o prego tipo ardox. No entanto, Michelazzo alerta que não existe regra, pois a escolha depende da madeira e do tipo de serviço.

Ao fixar duas peças de madeira, o comprimento do prego deve ser o suficiente para que ele atravesse a primeira madeira e penetre na segunda com o mesmo comprimento que na primeira. Ou seja, o comprimento deve ser equivalente ao dobro da espessura da madeira menor.

Se o prego apresentar sinais de corrosão, ele não deve ser usado. Pregos devem ser guardados em ambiente seco e na embalagem original, tomando o cuidado de evitar o contato com umidade.

Ao trabalhar com madeira, deve ser usado o martelo de unha de 650 a 950 gramas, que possui um lado para martelar e uma espécie de garra do outro lado para retirar pregos.

Cuidados ao pregar
Michelazzo alerta que o primeiro cuidado é certificar-se que o prego entre no sentido transversal em relação às fibras da madeira. Quando isso não for possível, ele recomenda fazer um pré-furo em diâmetro que represente metade do diâmetro do prego, inclinando o furo.

Também exige cuidado pregar perto da borda da madeira. O ideal é sempre respeitar a distância mínima de 1 cm da borda. Para minimizar o risco de ocorrer rachadura, Michelazo recomenda martelar a ponta do prego, deixando-a reta. Assim, o prego entra rompendo as fibras, e não as empurrando para o lado, o que diminui a tendência de rachar. E lembre-se de, neste caso, escolher um prego fino.

MEDIDAS
As medidas mais comuns para pregos são dadas em JP x LPP, ou seja, Jauge de Paris x Linhas de Polegadas Portuguesa. Uma unidade de LPP equivale a 2,30 mm. Por isso, basta multiplicar o valor por 2,30 para obter o tamanho em milímetros. Para o JP, existe uma equivalência com a escala dos milímetros. Confira.

 

Fotos: Marcelo Scandaroli

Num prego 18 x 27 o primeiro valor refere-se ao diâmetro, em JP, com valor em mm expresso na tabela acima. A altura é representada pelo segundo valor multiplicado por 2,30.
27 x 2,30 = 62,10 mm
O prego tem 3,4 mm de diâmetro x 62,10 mm de comprimento.

TIPOS DE PREGOS

Fotos: Marcelo Scandaroli
Prego com e sem cabeça
Também encontrado no modelo galvanizado para evitar oxidação. Uso geral industrial, doméstico e em marcenaria.
Prego ardox
Empregado em madeiras de alta densidade ou maior resistência superficial.
Fotos: Marcelo Scandaroli
Prego telheiro
Utilizado na fixação de telhas onduladas. Possui arruela metálica e de vedação. Tem a ponta espiralada.
Prego anelado
Destinado à fixação em madeiras com menor resistência ou baixa densidade. Propicia melhores resultados em uniões de topo.
Fotos: Marcelo Scandaroli
Prego com duas cabeças
Para estruturas temporárias, como fôrmas de madeira para concreto. Como não penetra totalmente na madeira, a remoção é facilitada, o que evita danos na madeira durante a desmontagem.
Prego para taco
Geometria e dimensões específicas que garantem a correta fixação de tacos, possibilitando melhor acabamento.

 

Apoio técnico: Paulo Michelazzo, instrutor do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) Orlando Laviero Ferraiuolo e Arcelor Mittal.

 

Veja também

Equipe de Obra :: Obras :: ed 78 - Dezembro de 2014

Plantas - Saiba como ler os detalhes de um projeto de fôrmas de madeira

Equipe de Obra :: Obras :: ed 78 - Dezembro de 2014

Passo a passo: recuperação estrutural

aU - Arquitetura e Urbanismo :: Edifícios :: ed 249 - Dezembro 2014

Conheça os vencedores do Prêmio PINI 2014