Publicidade

Obras

Chumbadores

Para fixação de maquinários a bases de concreto ou outras finalidades, ancoragens mecânicas e químicas têm procedimentos específicos de instalação, envolvendo escolha da broca e limpeza do orifício. Confira

Reportagem: Valentina Figuerola
Edição 61 - Julho/2013

Nos sistemas químicos de ancoragem, a adesão do elemento metálico se dá por meio do uso de resinas à base de epóxi, poliéster e viniléster. A escolha do material deve levar em consideração as orientações do fabricante, pois podem ocorrer problemas de compatibilidade entre o chumbador e o substrato. O adesivo empregado neste passo a passo foi a resina epóxi. Após a cura, a barra está pronta para receber a ancoragem de bases de suporte e de maquinários, que devem ser presos por meio de porca e arruela.

Já os chumbadores mecânicos, também conhecidos como parabolts, têm bitolas e comprimentos variados e funcionam por meio de expansão gerada por torque ou percussão. A ancoragem de expansão por torque envolve o uso de barras roscadas ou parafusos (com roscas internas e externas) que se fixam ao furo por meio de atrito. Nos chumbadores por percussão, a fixação acontece por meio da expansão da ponta do parabolt no substrato, provocada pela energia de impacto. Confira os procedimentos para furação e fixação de ambos os modelos de chumbadores.

Conteúdo exclusivo para leitores
cadastrados ou assinantes da plataforma Equipe de Obra

Ainda não é um assinante PINI?
Escolha uma das opções abaixo e faça já sua assinatura.

Destaques da Loja Pini
Aplicativos

Publicidade