Publicidade

Materiais e ferramentas

Certificação

Conheça as certificações do aço

Conheça - e saiba quando exigir - as certificações compulsórias e voluntárias de aços para armaduras

Reportagem: Maryana Giribola
Edição 62 - Agosto/2013
Foto: Marcelo Scandaroli

Ao comprar aço destinado a estruturas de concreto tanto no varejo quanto diretamente nas usinas, é importante verificar quais certificações o material possui. Existem dois tipos de certificações no mercado. Uma delas é a compulsória, regulamentada por portarias do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que estabelecem exigências mínimas de conformidade para produção e comercialização do produto, seja ele de origem nacional ou importado.

Há também a certificação voluntária. Trata-se de um mecanismo onde não há exigência direta de certificação por parte do Inmetro. Nesses casos, o fabricante é quem toma a iniciativa de certificar seu produto.

Nem todos os produtos existentes no mercado têm certificação obrigatória. As telas soldadas e as armaduras treliçadas, por exemplo, são atualmente certificadas voluntariamente.

Ao buscar a certificação não obrigatória, o fabricante se submete a auditorias por meio de um órgão de certificação neutro. Esse organismo, por sua vez, envia amostras do material que é produzido nas usinas para laboratórios acreditados pelo Inmetro, para que possa ser feita uma verificação da sua conformidade.

Os testes são feitos com base nas normas regulamentadoras dos produtos, como a NBR 7.481:1990 - Tela de Aço Soldada - Armadura para Concreto, e a NBR 14.862:2002 - Armaduras Treliçadas Eletrossoldadas. Quando os produtos são aprovados, recebem um selo, permitindo que o consumidor identifique a certificação do material. A comprovação da conformidade também pode ser feita por meio de documentos emitidos pelo órgão de certificação com os dados do fabricante e do respectivo produto.

Certificação obrigatória
As barras e os fios de aço são produtos que também passam por testes, mas de maneira compulsória. Isso significa que todas as empresas que produzem vergalhões para armaduras, como as barras em aço CA 50 e CA 25 e os fios de aço CA 60, devem ser submetidas a auditorias por parte do organismo de certificação. Dessa forma, só podem ser comercializados se estiverem de acordo com o previsto na NBR 7.480:2007 e com a portaria nº 073, de março de 2010, do Inmetro.

Assim como os produtos certificados voluntariamente, as barras e fios de aço também recebem selos de certificação nas etiquetas dos produtos. No caso do CA 50, CA 60 e CA 25, além do selo do organismo de certificação, também deve ser inserido o número de registro no Inmetro.

Processo de certificação
Para conseguir as certificações, sejam elas voluntárias ou compulsórias, o primeiro passo do fabricante é produzir o material seguindo as normas regulamentadoras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Antes de ser comercializado, o material passa por auditorias periódicas em que é avaliado o sistema da qualidade da produção. As auditorias seguem todos os itens determinados na ISO 9001, como verificações de controle de registro, de reclamações dos clientes, de desenvolvimento do produto e do ambiente de produção.

Nas auditorias, também são coletadas amostras do material acabado, que são enviadas para laboratórios acreditados para avaliação das características do aço. Os produtos submetidos à análise podem ser coletados na indústria ou nos pontos de venda.

ENTENDA OS SELOS

Foto: Marcelo Scandaroli
Barras de aço, nacionais ou importadas, têm certificação compulsória realizada pelo Inmetro. Comprador deve observar presença de etiquetas ao adquirir tais materiais
Foto: Marcelo Scandaroli Foto: Marcelo Scandaroli
Para obtenção das certificações, os produtos passam por ensaios que testam suas características de resistência, determinantes para o bom desempenho estrutural esperado Produtos como telas soldadas e armaduras treliçadas podem ser submetidos à certificação voluntária e a ensaios que verifiquem sua adequação às normas técnicas

Certificado de conformidade: comprova que o produto atende às exigências e especificações técnicas da norma de produto correspondente. Assegura, por exemplo, os controles dimensionais das barras nervuradas, como o CA 50 e o CA 25 liso.

Registro do produto junto ao Inmetro: no caso dos produtos com certificação compulsória, o registro é obrigatório e comprova que a empresa está autorizada pelo Inmetro a produzir e comercializar barras e fios de aço de diversas categorias. É obtido por meio das auditorias que verificam rastreabilidade, controle de registro, reclamações, desenvolvimento de produtos etc. Ou seja, por meio de uma verificação de todo o ambiente da indústria feita por um organismo de certificação.

Certificado de qualidade do produto: obtido por meio dos ensaios mecânicos que determinam características como limite de escoamento, limite de resistência, alongamento, entre outras.

Rótulo ecológico: certificação voluntária que está cada vez mais presente entre os produtos destinados à construção civil. Ele garante que a empresa que produz o aço possui dispositivos e políticas internas que asseguram o seu compromisso com a sustentabilidade ou com a responsabilidade socioambiental. Também é obtido voluntariamente.

Apoio técnico: Antonio Paulo Pereira Filho, especialista de produtos da ArcelorMittal Aços Longos.

Destaques da Loja Pini
Aplicativos

Publicidade