Publicidade

Planejamento

Menor custo

Em obra que durará sete anos, construtora pretende economizar 27 mil m³ de água e consumir 20% menos energia

Em sete anos de obras, empreendimento de uso misto em São Paulo pode reduzir em 27 mil m³ o consumo de água nos banheiros do canteiro; economia nas contas de luz pode chegar a 20%

Reportagem: Maryana Giribola
Edição 63 - Setembro/2013
 

Divulgação: Odebrecht Realizações Imobiliárias

Soluções que serão entregues aos usuários do complexo multiuso Parque das Cidades, da Odebrecht Realizações Imobiliárias, também serão aplicadas durante a execução dos edifícios. Com as tecnologias adotadas, a previsão é de que haja economia de pelo menos 27,6 mil m³ de água, além de redução de 20% nas contas de energia elétrica. O empreendimento, localizado na zona Sul da capital paulista, será entregue em fases. Serão sete anos até a conclusão de dez edifícios, entre elas duas torres residenciais, um shopping center, um hotel, cinco torres corporativas e uma de escritórios. Ao todo, serão 600 mil m² de área construída num terreno de 85 mil m². A previsão de entrega é para agosto de 2019.

A principal alternativa para redução no consumo de água utilizada nos canteiros foi viabilizada com mictórios que não necessitam de água, já que funcionam por sistema a vácuo (entenda o processo na imagem abaixo). Arejadores e reguladores de vazão e torneiras automáticas de baixo consumo também são dispositivos que ajudarão na redução do consumo. Com isso, a estimativa é de que aproximadamente R$ 660 mil sejam economizados durante os sete anos de construção das torres. Segundo o diretor de engenharia da Odebrecht Realizações Imobiliárias, Eduardo Freire, "o sistema de esgoto a vácuo também está previsto para ser usado nas torres corporativas, na torre comercial e no shopping center".

Um sistema para o reaproveitamento de águas pluviais vai garantir parte da irrigação da vegetação do canteiro, complementada por uma tecnologia que permite ser programada para funcionar em dias e horários específicos. Freire conta que, com isso, será possível estimar uma redução na ordem de R$ 100 mil nas contas de água ao longo da vida útil do canteiro. A alternativa dispensa o uso de mão de obra e outros equipamentos, como mangueiras.

Para reduzir a demanda por energia, foram adotados sistemas como vidros de alta eficiência energética, que permitem a passagem quase que total da luz, reduzindo a necessidade de iluminação artificial durante parte do dia. Esses vidros ainda criam barreiras ao calor, evitando que o ambiente fique abafado. Além disso, o sistema de ar-condicionado vai utilizar gás ecológico, que demanda menos energia elétrica durante o consumo. Parte da iluminação do canteiro será garantida por meio da energia solar, com luminárias tipo led. Com isso, a previsão é de que haja redução de até 20% nas contas de luz.

 

Divulgação: Falcon Waterfree Technologies

 

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>
Destaques da Loja Pini
Aplicativos

Publicidade