Publicidade

Planejamento

Menor Custo

Resíduos controlados

Central de controle e tratamento de efluentes gerados com a lavagem de pincéis usados na obra do Maracanã gera economia de 33% na destinação final dos resíduos perigosos

Reportagem: Maryana Giribola
Edição 64 - Outubro/2013
 

Fotos: Consórcio Maracanã Rio 2014

Para diminuir a quantidade de resíduos contaminados gerados com a lavagem de pincéis, rolos e outras ferramentas durante a reforma do estádio Mário Filho, o Maracanã, a equipe de sustentabilidade da obra, formada pelas empresas Odebrecht e Andrade Gutierrez em parceria com o Centro de Tecnologia de Edificações (CTE), implementou um sistema de tratamento de efluentes no próprio canteiro.

Estima-se que, durante o período de acabamento da obra, entre julho de 2012 e junho de 2013, essas lavagens tenham gerado cerca de 20 mil l de efluente. Com o tratamento com uso de um coagulante, o volume foi reduzido para apenas 1,6 mil l de borra de tinta, ou seja, redução de 92% no volume total de resíduos perigosos.

O consórcio responsável pela obra calcula que cerca de R$ 14 mil seriam gastos para destinar todo o efluente gerado. Com a redução desse volume e já considerando os custos relacionados à instalação e operação do sistema de lavagem e tratamento, incluindo funcionário treinado para operar o sistema e o custo com aquisição do coagulante, estima-se que a economia tenha chegado a 33%.

 

ENTENDA O PROCESSO
Fotos: Consórcio Maracanã Rio 2014
Com dois andares, o sistema foi montado em andaimes para que, ao ser desmontado, não gerasse resíduos. Para viabilizar os processos de coagulação e floculação, sedimentação e filtração, no andar de cima duas bombonas de 200 l cada serviram para lavagem das ferramentas   O sistema contava com duas bombonas, para que, enquanto uma estivesse em processo de sedimentação, a outra pudesse ser operada, tornando a operação contínua

 

Fotos: Consórcio Maracanã Rio 2014
Depois de cheia, uma amostra do efluente da bombona era coletada para análise da quantidade ideal de coagulante a ser aplicada   Depois que o coagulante era misturado, a floculação e sedimentação da tinta podiam ser vistas, conforme conta Olivia Marques, coordenadora de obras sustentáveis do CTE

 

Fotos: Consórcio Maracanã Rio 2014
A água fica transparente, possibilitando a visualização do resíduo sólido no fundo da bombona, chamado de borra

 

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>

Publicidade