Publicidade

Obras

Certo e Errado

Segurança e saúde nas obras

Edição 76 - Outubro/2014
CERTO
ERRADO
Foto: Marcelo Scandaroli Foto: Marcelo Scandaroli
A construtora acertou a mão nessa obra, escolhendo um sistema de proteção periférica seguro, com grades metálicas resistentes. Mas isso não quer dizer que o trabalhador esteja dispensado de usar o cinto de segurança, que é um equipamento de proteção individual obrigatório. E essas pontas de armaduras desprotegidas? Nessa fase de montagem das fôrmas, é muito fácil para o trabalhador tropeçar em qualquer saliência ou material e cair. Se ele for de cara nesses ferros, pode acertar o olho e ficar cego!




CERTO
ERRADO
Foto: Marcelo Scandaroli Foto: Sofia Mattos
O trabalhador nessa foto mandou bem. Se for usar um removedor ou qualquer outro produto químico, tem que se proteger usando óculos, máscara e luva. Nesse caso, o trabalho também é realizado num telhado, por isso é preciso usar o cinto de segurança contra quedas de altura. Aqui, o problema é a falta de óculos de proteção enquanto o trabalhador serra a chapa. Num movimento brusco, um fiapo pode se soltar e ir direto no olho dele.

Colabore com a seção Certo e Errado - envie fotos em alta resolução sobre bons e maus exemplos relacionados à organização, segurança e saúde nos canteiros. Não serão identificadas construtoras ou obras. O objetivo da revista é orientação por meio de imagens.

E-mail: equipedeobra@pini.com.br

Publicidade