Publicidade

Obras

Melhores Práticas

Melhores práticas: piso elevado externo

Apoiadas sobre pedestais plásticos com ajuste milimétrico na cabeça, placas contam com juntas abertas, que permitem a livre passagem de água para o substrato, onde há o sistema de drenagem

Reportagem: Aline Mariane
Edição 78 - Dezembro/2014
Foto: Marcelo Scandaroli

Medição
É preciso determinar, em projeto, o posicionamento de cada placa de concreto. Feito isso, os instaladores fazem as medições para cortar as placas de acordo com o projeto. Este ponto de partida é extremamente importante, pois evita placas de dimensões inadequadas ou tortas.

Foto: Marcelo Scandaroli



Corte

Para cortar as placas, que têm 4 cm de espessura, é preciso usar disco de corte com 7 polegadas. O corte pode ser feito em bancada ou apoiando a placa a ser cortada sobre outra, com defeito e que, portanto, não será utilizada.


Foto: Marcelo Scandaroli


Galvanização a frio

Após o corte das peças e quando houver exposição das armaduras da placa, é preciso aplicar fundo preparador nas bordas para promover a galvanização a frio do aço, evitando a sua corrosão.


Foto: Marcelo Scandaroli


Cortiça emborrachada

A cortiça emborrachada serve de apoio para as peças, devendo ser colocada em cima dos pedestais. Além de distribuir os impactos mais uniformemente, ela reduz a geração de ruídos. Para a sua fixação é utilizada cola siliconada.

Foto: Marcelo Scandaroli



Juntas

A distância entre as placas é determinada por valetas existentes na cabeça dos pedestais. A rosca existente nas cabeças permite ajuste milimétrico da altura. As juntas devem ser abertas para permitir que a água escorra por entre as placas. O sistema de drenagem fica por baixo do piso elevado.

Foto: Marcelo Scandaroli




Proteção do piso

Normalmente, a instalação desses pisos acontece quando o empreendimento ainda está sendo construído. Para evitar que as placas sejam danificadas, é preciso protegê-las, cobrindo-as com lona.

Foto: Marcelo Scandaroli




Travamento lateral

Diferentemente das demais peças, que são apenas encaixadas, as peças das extremidades precisam ser chumbadas com argamassa, para promover o travamento de todo o conjunto.


Foto: Marcelo Scandaroli

Limpeza e manutenção
Após a colocação das placas, é preciso fazer a limpeza e a verificação final, verificando o posicionamento geral. As laterais que receberam argamassa devem ser limpas. A cada três meses é necessário checar se houve deslocamento de alguma placa.

Apoio técnico: Eder Ferreira, técnico do setor de montagem e manutenção de pisos arquitetônicos da Stamp.

Destaques da Loja Pini
Aplicativos

Publicidade