Passo a passo: chumbadores

Passo a passo: chumbadores

Nos sistemas químicos de ancoragem, a adesão do elemento metálico se dá por meio do uso de resinas à base de epóxi, poliéster e viniléster. A escolha do material deve levar em consideração as orientações do fabricante, pois podem ocorrer problemas de compatibilidade entre o chumbador e o substrato. O adesivo empregado neste passo a passo foi a resina epóxi. Após a cura, a barra está pronta para receber a ancoragem de bases de suporte e de maquinários, que devem ser presos por meio de porca e arruela.

Já os chumbadores mecânicos, também conhecidos como parabolts, têm bitolas e comprimentos variados e funcionam por meio de expansão gerada por torque ou percussão. A ancoragem de expansão por torque envolve o uso de barras roscadas ou parafusos (com roscas internas e externas) que se fixam ao furo por meio de atrito. Nos chumbadores por percussão, a fixação acontece por meio da expansão da ponta do parabolt no substrato, provocada pela energia de impacto. Confira os procedimentos para furação e fixação de ambos os modelos de chumbadores.

FERRAMENTAS E EPIS

Fotos: Marcelo Scandaroli

Para este serviço, você vai precisar de mangueira, trena, escova de aço, esponja, aplicador, bomba de ar manual, barra roscada, lápis, furadeira, broca de vídea, porca e arruela. Os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) necessários são capacete, luvas, máscara e óculos.

FURAÇÃO

CHUMBADOR QUÍMICO

Fotos: Marcelo Scandaroli

Passo 1. Para fixação da ancoragem química, foram utilizadas uma barra de 10 mm de diâmetro e uma broca de 12 mm de diâmetro.

DICA

Para barras com até 16 mm de diâmetro, use sempre brocas 2 mm mais largas. A norma europeia para uso de ancoragem de metal em concreto traz detalhes sobre outros diâmetros. Confira em http://goo.gl/jvHza.

Fotos: Marcelo Scandaroli

Passo 2. A profundidade do furo depende do comprimento da barra de ancoragem. Neste caso, o furo tem 10 cm de profundidade. Para assegurar o desempenho da fixação, a profundidade da perfuração deve ter quatro vezes o diâmetro da barra. Assim, se a barra tem 12 mm de diâmetro, a profundidade de embutimento deverá ser de, no mínimo, 48 mm (4,8 cm). Em todos os casos, a profundidade do furo nunca poderá ser inferior a 40 mm (4,0 cm).

Fotos: Marcelo Scandaroli

CHUMBADOR MECÂNICO

Passo 1. O chumbador usado neste procedimento é expansivo, do tipo jaqueta e cone (o segundo da esquerda para a direita), de 3/8″ x 2-1/2″.

Fotos: Marcelo Scandaroli

Passo 2. Esse tipo de chumbador requer furação com profundidade e diâmetro equivalentes às suas dimensões. Assim, use brocas com diâmetros em polegadas, a mesma unidade de medida dos parabolts. Neste caso, a broca tem 9/16”.

LIMPEZA (PASSOS VÁLIDOS PARA AMBAS AS ANCORAGENS)

Fotos: Marcelo Scandaroli

Passo 1. Retire o pó da superfície com auxílio de uma esponja.

Passo 2. Limpe o interior do furo com uma escova de aço.

Passo 3. Insira a mangueira no furo e, com auxílio de uma bomba de ar manual, injete ar para remover a poeira. Essa limpeza é fundamental para garantir a aderência da resina às paredes do furo. Para furos com mais de 20 cm de profundidade, o recomendável é usar um soprador a ar comprimido.

ANCORAGEM QUÍMICA

APLICAÇÃO DA RESINA

Fotos: Marcelo Scandaroli

Passo 1. Cada tipo de resina requer aplicadores e bicos misturadores apropriados. Neste caso, os componentes da resina são misturados no bico. Para evitar utilizar material ainda não adequadamente misturado, descarte os 10 cm iniciais de filete do material.

Fotos: Marcelo Scandaroli

Passo 2. O adesivo químico, já misturado, deve ser inserido diretamente no buraco com o aplicador.

Fotos: Marcelo Scandaroli

Passo 3. Como a barra de aço ocupará espaço, para evitar desperdício de material, apenas 2/3 da profundidade do furo deverão ser preenchidos com resina. Ao inserir a barra, toda a profundidade do furo será preenchida.

DICA

Se sobrar resina no tubo após a aplicação, ela deverá ser armazenada com o próprio bico misturador, e nunca com a tampa da embalagem original, o que provocaria o seu endurecimento. No caso de uma próxima aplicação, basta trocar o bico antigo por um novo.

INSERÇÃO DA BARRA

Fotos: Marcelo Scandaroli

Passo 4. Insira a barra no furo, girando-a conforme afunda.

Fotos: Marcelo Scandaroli

Passo 5. Antes que a resina endureça, retire o excesso com uma espátula ou um pedaço de madeira ou papelão, por exemplo.

Fotos: Marcelo Scandaroli

Passo 6. A barra deve permanecer intocada até o endurecimento completo da resina. Em geral, a cura total acontece em 18 horas e a inicial, em uma hora. Em temperaturas inferiores a 20°C, a cura inicial pode ser um pouco mais demorada. Para obter essa informação, consulte sempre o manual do fornecedor ou a embalagem do produto.

ANCORAGEM MECÂNICA

Fotos: Marcelo Scandaroli

Passo 1. Introduza o chumbador já montado – com jaqueta e cone – no furo.

Passo 2. Como as dimensões do furo são equivalentes às do chumbador, pode ser necessário o uso de um martelo para terminar de introduzir o parabolt. Se for esse o caso, tome o cuidado de não aplicar muita força para não entortar a peça.

Fotos: Marcelo Scandaroli

Passo 3. Ao apertar o parafuso, o torque fará com que a jaqueta se expanda. Esse procedimento pode ser feito com uma chave de boca comum, mas o ideal é usar um torquímetro. Torque excessivo pode romper o concreto, e torque insuficiente pode deixar a ancoragem solta dentro do orifício.

Passo 4. Retire o parafuso para que o suporte a ser fixado possa ser posicionado.

Fotos: Marcelo Scandaroli

Passo 5. Depois de colocar o suporte no local, volte a rosquear o parafuso, finalizando a fixação.

Reportagem: Valentina Figuerola

Apoio técnico: Tolentino Soares de Souza, orientador de práticas profissionais da Escola Orlando Laviero Ferraiuolo, do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), e engenheiro Edson Nascimento e Jaime Dias, da Fischer, que forneceu os materiais.