Glossário: aumente seu vocabulário

Glossário: aumente seu vocabulário

Alvenaria armada: alvenaria estruturada com vergalhões de aço distribuídos em posições tais que absorvam os efeitos relativos à umidade e ao calor e/ou as tensões que ocorrem em seu interior.

Alvenaria portante: o mesmo que alvenaria estrutural. Trata-se de sistema construtivo que conta com paredes estruturais, dispensando a necessidade de vigas e pilares. Geralmente, proporciona velocidade construtiva com investimento relativamente baixo em equipamentos e mão de obra.

Alvenaria: parede construída pelo assentamento de tijolos maciços ou blocos vazados que se ligam por argamassa, formando um conjunto rígido e coeso. Sinônimo: alvenaria de elevação.

Atirantamento: técnica de ancoragem geralmente empregada em paredes de contenção, como a cortina atirantada. Tal sistema prevê a inserção no solo, com respectivo chumbamento, de tirantes (barras de aço) cuja extremidade está fixada à chapa de concreto que compõe o muro de arrimo.

Bloco cerâmico vazado: componente de alvenaria fabricado com material cerâmico, com furos, com área útil do material cerâmico não excedendo 25% da área bruta.

Boneca: saliência da alvenaria destinada ao alojamento de tubulações, ou à fixação de marcos de portas e janelas.

Caranguejo: espaçadores para armaduras negativas de estruturas de concreto. Ou seja, posicionam e mantêm as barras de aço no local correto durante a concretagem e a cura, mantendo o espaçamento necessário até a superfície superior e, assim, garantindo o recobrimento necessário pelo concreto. Isso evita que o aço fique exposto e sofra corrosão.

Cinta de amarração: reforço de material resistente à tração e ao cisalhamento, introduzida e solidarizada às alvenarias para melhorar o desempenho das paredes frente a essas solicitações.

Coordenação modular: conceito em que todos os elementos de uma obra têm dimensões compatíveis com módulos de 10 cm. Assim, evita-se quebrar e cortar blocos e revestimentos, por exemplo.

Juntas a prumo: assentamento de blocos ou tijolos onde as peças da fiada superior projetam-se exatamente sobre as peças inferiores, com as juntas verticais de assentamento resultando alinhadas, sem zigue-zagues.

Juntas secas: encontro vertical entre dois blocos justapostos, sem argamassa na junta vertical de assentamento.

Proteção catódica: processo de controle contra ferrugem de tubulações e estruturas metálicas, geralmente enterradas ou submersas. O processo natural de corrosão é anulado quando se liga a estrutura metálica a uma peça de metal de sacrifício, em geral, feita de de cobre. Como resultado, a corrosão acontece nessa peça e não no elemento principal.

Foto: Marcelo Scandaroli

 

Telhado verde: técnica de construção de coberturas de residências e edificações onde são plantados arbustos e outras e plantas. Exige impermeabilização e drenagem da cobertura. Tendem a facilitar a drenagem, fornecer isolamento acústico e térmico, produzir diferencial estético e ambiental.

 

 

 

Foto: Marcelo Scandaroli

 

Verga: reforço de material resistente à flexão e ao cisalhamento, introduzida e solidarizada às alvenarias sobre os vãos de portas e janelas, com a finalidade de absorver tensões que se concentram no entorno dos vãos.