Materiais: pastilhas de porcelana

Materiais: pastilhas de porcelana

O revestimento com pastilhas é uma técnica que permite acabamento diferenciado e pode ser usado em áreas internas e externas, sujeitas a umidade ou não. Além das de porcelana, as pastilhas podem ser feitas de cerâmica ou vidro. As de porcelana, com taxa de absorção de água menor que 0,5%, são largamente usadas em piscinas e revestimento interno de banheiros.

O método de aplicação das pastilhas de porcelana não difere do processo das peças de cerâmica ou vidro. A principal diferença se dá em relação ao local de aplicação. Para o procedimento em piscinas, por exemplo, é preciso realizar um teste de estanqueidade do tanque antes de começar a aplicação. Depois de assentar as pastilhas, a piscina deverá ser enchida com água respeitando-se o tempo de cura determinado pelos fabricantes de argamassa e rejunte.

A norma que orienta os trabalhos com pastilhas de porcelana é a NBR 15.463:2013 Placas Cerâmicas para Revestimento – Porcelanato. As aplicações em piscina devem considerar a NBR 9.818:1987 Projeto de Execução de Piscinas – Procedimento. Para recomendações sobre rejuntamento, a norma a ser consultada é a NBR 13.753:2015 Revestimento de Piso Interno ou Externo com Placas Cerâmicas e com Utilização de Argamassa Colante – Procedimento.

As pastilhas de porcelana são as mais indicadas para revestimento de piscinas, já que possuem taxa de absorção da água reduzida e se comportam bem ao contato prolongado com o cloro. Além do teste de estanqueidade, o local onde as pastilhas serão aplicadas deverá estar seco, isento de pó, óleo, graxa, pintura ou qualquer partícula que prejudique a aderência no momento do assentamento.

Para o assentamento em áreas sujeitas a umidade, a recomendação é utilizar argamassa colante industrializada AC-III, com desempenho de aderência elevado. Outra solução é utilizar argamassa de assentamento e rejuntamento simultâneo; esse material é colorido, sendo apropriado para um acabamento mais detalhado. A argamassa colante tem um tempo de manuseio (não confundir com tempo em aberto) de no máximo duas horas e trinta minutos. Em regiões ou ambientes de temperatura elevada é preciso verificar a determinação do fabricante.

A camada de argamassa colante aplicada na parede deverá ter de 3 mm a 6 mm de espessura. É recomendado estender panos de aproximadamente 1 m² para a aplicação das pastilhas de porcelana. Após esse procedimento, e se aplicado em piscina, esta deverá ser cheia com água para o procedimento de cura.

O esquema mostra a disposição dos elementos no revestimento de pastilhas de porcelana em piscina, contendo camada de impermeabilização e camada de regularização, responsável por garantir que as paredes estejam planas.

O rejuntamento deve ser iniciado após 72 horas, de acordo com as determinações e especificações do fabricante. A limpeza final deve ser feita com produtos específicos para esse fim, diluídos em água e observando sempre as orientações da marca. Em hipótese alguma se deve utilizar ácidos inorgânicos e seus derivados.

Os revestimentos de pastilhas de porcelana estão sujeitos a algumas patologias, como trincas, vazamentos e queda de peças. As causas são variadas, podendo estar relacionadas ao não cumprimento adequado das etapas de construção da piscina ou ao assentamento incorreto. Para evitar transtornos, a orientação é avaliar o registro dos profissionais, empresas contratadas e consultar o manual dos produtos, a fim de garantir a qualidade dos materiais e da mão de obra durante os trabalhos.

Reportagem: Mauricio Besana
Apoio técnico: Fernanda Quintas, arquiteta da Super NGK