Melhores práticas: argamassa projetada

Melhores práticas: argamassa projetada

Argamassa
A argamassa utilizada deve ser a específica para projeção. A mistura deve ser equilibrada e não muito viscosa ou muito seca. Preparar uma argamassa não homogênea prejudica a boa aderência à alvenaria e contribui para o entupimento dos mangotes e danificação dos pontos de conexão.

Projeção
A velocidade da projeção de argamassa é muito alta, portanto é necessário que o profissional esteja preparado para realizar o serviço com agilidade, caso contrário a área de aplicação corre o risco de não ser coberta de maneira uniforme; também por esse motivo, a adoção de taliscas como forma de nivelamento é indispensável.

Transporte
Dependendo do tipo de bomba utilizada e das características da obra é necessário instalar andaimes e elevadores de cremalheira para transporte de pessoas e equipamentos. Se for esse o caso, a recomendação é utilizar os equipamentos de transporte para outras funções, aproveitando ao máximo os recursos do canteiro de obras e integrando diferentes funções.

Mangueiras
É recomendada uma distância de aproximadamente 10 cm entre alvenaria e pistola. Esta deve ser posicionada em um ângulo de 90º em relação à parede.

Manutenção
A manutenção dos pontos de conexão dos mangotes deve ser feita após cada sessão de trabalho. É preciso tomar cuidado especial com a conservação adequada das borrachas de vedação e ter sempre disponível um estoque de reposição. Não fazer a manutenção adequada implica o não funcionamento correto do sistema de projeção, podendo causar atrasos em toda a obra.

Reportagem: Mauricio Besana

Apoio técnico: Glécia Vieira, gerente de Edificações da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP).