Passo a passo: piso elevado externo

Passo a passo: piso elevado externo

O piso elevado em áreas externas pode ser considerado uma opção vantajosa porque é fácil de instalar e de fazer a manutenção. O sistema também possibilita trabalhar com diferentes alturas – inclusive em grandes elevações – sem a necessidade do preenchimento do contrapiso, diminuindo assim o peso na estrutura, mobilidade e facilidade na movimentação de peças. Outra vantagem a ser considerada é a manutenção de tubulações, cabeamentos e escoamento de água. O sistema de piso elevado em área externa é composto praticamente por base de concreto, tubos de PVC rígido antichamas, apoios de polipropileno, cortiça emborrachada e placas pré-moldadas de concreto armado.
Segundo Mário José Remor Martins engenheiro da Cerâmica Portinari, a área onde o piso elevado será instalado deve estar livre para receber o sistema. “O contrapiso não precisa ter um acabamento perfeito, porque durante a instalação são ajustadas as irregularidades e deve apresentar o caimento desejado pela construtora para escoamento a água” diz. Martins conta que não é recomendado aplicar o sistema em áreas que tenham circulação de veículos. “O piso elevado externo não foi desenvolvido para este fim e pode vir a colapsar em algum momento por má utilização” alerta.

 Serra circular
 Serra policorte de bancada
 Martelo de borracha
 Nível de bolha
 Nível a laser
 Régua de alumínio
 Aplicador de cola

Os responsáveis pela execução do serviço devem utilizar os seguintes EPIs-Equipamentos de Proteção Individual:
 Capacete
 Óculos de proteção
 Protetor auricular
 Luvas

Cada conjunto de pedestal é formado por cinco partes de polipropileno termoplástico reciclado: base, tubo na altura indicada em projeto e confirmada em canteiro, rosca, bucha e pedestal central regulável interno (PDCR-I) ou externo (PDCR-E).

Fornecidos em barras de 2 m ou 3 m, os tubos de polipropileno termoplástico reciclado precisam ser cortados. O corte é feito no canteiro para contemplar eventuais ajustes de projeto. Com a altura definida, o instalador faz o corte na serra policorte de bancada.

A rosca e a base de apoio do pedestal são fixadas ao tubo apenas por pressão, com auxílio de um martelo de borracha.

Já a fixação do PDCR interno ou externo à rosca é feita com cola. É essa rosca que proporciona o ajuste fino à estrutura. Por isso, a cola permite movimentação por um período de até 12 horas. Após o tempo de cura da cola, o pedestal fica travado, impossibilitando a movimentação e evitando o desnivelamento.

Para aumentar a produtividade da operação os pedestais são montados previamente, ficando à disposição do montador. A produtividade do piso elevado externo Remaster é de 30 a 50 m²/dia por equipe de quatro pessoas.

O uso de nível a laser proporciona praticidade durante a instalação, garantindo o controle contínuo do nivelamento do sistema.

Para proporcionar apoio durante a instalação, os primeiros conjuntos de pedestais a serem fixados são os que ficam no centro da placa – PDCR-I. Note que as placas são fornecidas pela Remaster já com o revestimento aderido.

O vão existente entre o revestimento e o contrapiso permite a passagem de tubulações, que ficam facilmente acessíveis após a conclusão da obra, facilitando eventuais inspeções ou manutenções. No total, cada placa é apoiada por nove pedestais.

Uma vez posicionada no local, a placa é pressionada pelo instalador para que se encaixe nos pedestais já instalados. No caso de interferências de instalações, como tubulações hidráulicas, estas devem ser posicionados entre os conjuntos de pedestais, sem interferir nos apoios do piso elevado.

Com a placa já apoiada nos pedestais centrais, é preciso fixar os pedestais periféricos. O primeiro passo é aplicar cola à base do pedestal. É possível aplicar diretamente sobre o contrapiso desde que o profissional use um gabarito para aplicar a cola exatamente no ponto de apoio e, assim, evitar desperdício.

Com a cola já aplicada, o instalador posiciona o pedestal na placa de revestimento.

É imprescindível que o instalador verifique se os pedestais ficaram perfeitamente encaixados à base da placa de revestimento.

Depois de posicionar o pedestal e assegurar que ficou perfeitamente encaixado, o instalador faz o ajuste fino da altura de, no máximo, 2,5 cm. Já em seu local definitivo, o instalador ajusta o conjunto do pedestal, o colocando em contato com o contrapiso, sempre respeitando o nivelamento indicado pelo laser.

Quando são necessários cortes para os cantos, o procedimento é feito com uso de serra circular. Devido à altura do conjunto composto por placa e revestimento, o ideal é que o corte seja feito primeiro na face do revestimento e depois na face inferior, da base em polipropileno termoplástico reciclado.

Em conjunto com o nível a laser, a régua de alumínio auxilia o instalador a garantir a planicidade do sistema de piso elevado externo.

Por Allaf Barros